domingo, 1 de abril de 2012

Fome Sombria, Cárpatos 14 - Christine Feehan


''Juliette desabotoou a blusa até os seios, para que o fino material revelasse a generosa, suave e provocante curva e sua sedosa pele. Pegou uma enorme banana de sua mochila e deu a volta no edifício, descascando lentamente à fruta, enquanto avançava. Quando emergiu da espessa vegetação, parou deliberadamente sob a prateada luz de lua, levando a banana à boca, percorrendo-a com a ponta da língua. A luz brilhou através do fino tecido de sua blusa, acariciando os seios arredondados fazendo com que os escuros mamilos se mostrassem provocantemente contra o tecido.
A atenção do guarda imediatamente se fixou em seus seios. Ele lambeu os lábios e a olhou fixamente. Juliette lhe sorriu, depois de morder sugestivamente a banana.
- Não sabia que este edifício estivesse aqui. Acampo com uma pequena turma de amigos junto ao arroio. – Ela utilizou tentativamente o espanhol, como se não conhecesse o dialeto local. Juliette virou-se ligeiramente, proporcionando uma visão mais intrigante de seu corpo e assinalou para trás, para a escura vegetação. Depois, voltou-se outra vez para ele, permitindo que seu olhar o percorresse de cima a baixo, atrasando-se um momento sobre o repentino vulto sob suas calças.
– Oh! Nossa! Certamente não esperava um homem tão grande e forte como você.
Ele não podia falar, olhava fixamente para sua boca enquanto ela lambia a fruta, com seus lábios deslizando de cima a baixo. Juliette tirou a banana da boca, ganhando pontos para sua causa e seus quadris balançaram. Seu sorriso era coquete.
- Está com fome? Repartirei minha banana com você. – Ela ofereceu a banana e pareceu notar que sua blusa estava totalmente aberta, pela primeira vez. – Oh! Sinto muito, estava tão acalorada na selva, que não posso manter a roupa toda fechada. Não te incomoda o calor? Faz-me sentir... Quente. - Uma de suas mãos foi para a blusa a fim de fechá-la, mas seus dedos vagaram sobre a curva de seu seio.
O guarda engoliu com força, olhando-a fixamente. Ela sustentava a banana em sua boca.
- Todos os homens daqui são tão bonitos como você?
Ele mordeu um pedaço da fruta oferecida, não pôde se conter. Estava sorrindo, ainda olhando seus seios quando ela utilizou uma agulha hipodérmica nele, sedando-o.''

Nenhum comentário:

Postar um comentário